top of page

Serviços e ações marcam comemoração dos 36 anos do Conselho dos Direitos da Mulher

Evento teve apresentações culturais, divulgação de serviços públicos e oferta de atendimento psicossocial. Órgão é formado por 12 representantes do Poder Público e 12 de entidades da sociedade civil


O aniversário de 36 anos do Conselho dos Direitos da Mulher do Distrito Federal (CDM) animou a Rodoviária do Plano Piloto nesta quinta-feira (21). A ação de homenagem contou com divulgação de serviços públicos, apresentações artísticas e promoção de atendimento psicossocial na unidade móvel da Secretaria da Mulher (SMDF). A trilha sonora do evento foi embalada pela banda da Polícia Militar, por dueto do Corpo de Bombeiros Militar, pela Escola de Música de Brasília e pela escola de samba Acadêmicos do Riacho Fundo II.



A vice-governadora Celina Leão ressaltou o papel do CDM-DF na garantia de oportunidades de desenvolvimento econômico, social, político e cultural. “O conselho é onde a sociedade civil senta com o governo e fala o que as mulheres precisam, e por isso temos um conselho plural, que representa verdadeiramente a sociedade”, destacou. | Foto: Georgie Gianni -VGDF



Criado em 9 de março de 1988, o CDM-DF é um órgão colegiado consultivo e deliberativo, vinculado à SMDF. O objetivo é formular e propor diretrizes de ação governamental voltadas à promoção e defesa dos direitos femininos, além da eliminação da violência e discriminação do gênero. “É um braço importantíssimo para a Secretaria da Mulher, porque só conseguimos criar políticas públicas de proteção à mulher quando realmente entendemos a necessidade delas. A melhor forma de fazer isso é estando em contato com a população”, avaliou a titular da pasta, Giselle Ferreira.


A vice-governadora Celina Leão ressaltou o papel do CDM-DF na garantia de oportunidades de desenvolvimento econômico, social, político e cultural. “O conselho é onde a sociedade civil senta com o governo e fala o que as mulheres precisam, e por isso temos um conselho plural, que representa verdadeiramente a sociedade”, destacou. “Precisamos lutar por uma realidade em que todos os direitos das mulheres serão respeitados, em que homens e mulheres vão receber salários iguais para a mesma função, em que não terá medo de ser assediada. As mulheres não querem privilégios, querem igualdade”, defendeu.


Segundo a vice-presidente do CDM-DF, Ivonice Aires Dias, a realização do evento no terminal rodoviário permitiu o contato com mulheres de todas as regiões administrativas. “Viemos para abraçar todos os cidadãos que aqui se encontram na intenção de incentivá-los a procurar as Conselheiras dos Direitos da Mulher e toda a equipe do GDF que cuida da proteção dos direitos e do desenvolvimento econômico das mulheres”, observou. “São 36 anos defendendo a autonomia e protagonismo das cidadãs do DF”, completou.


A dona de casa Izabel Brandão, 71 anos, participou da celebração. Ela havia ido ao posto de saúde para tomar a vacina contra a gripe e, passando pela Rodoviária do Plano Piloto, se deparou com o evento. “Eu mesma não conhecia o conselho, mas vendo tudo o que fazem por nós, mulheres, fico realmente agradecida. Me sinto bem cuidada e assistida”, avaliou.


O CDM-DF é formado por 25 integrantes titulares e dez suplentes. Entre os titulares, 12 são representantes do Poder Público, de administração direta ou indireta. Outros 12 são de entidades da sociedade civil selecionadas por processo seletivo, assim como os dez suplentes.


Por: Agência Brasília

0 comentário

Comments


bottom of page