top of page

Reinaugurado, Cata-Pata resgata e dá novos lares a cães abandonados em unidades do SLU

Atualmente, há 17 animais disponíveis no Distrito de Limpeza da L4 Sul; tutor deverá assinar um termo de adoção responsável


A responsabilidade ambiental do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) vai muito além da limpeza nas cidades e do manejo dos resíduos sólidos gerados pelos brasilienses. O compromisso com o meio ambiente fez com que a autarquia retomasse o Cata-Pata, iniciativa dedicada ao resgate e à adoção responsável de cães abandonados em pontos por onde os caminhões de coleta passam. A reinauguração do programa foi nesta sexta-feira (7), no Distrito de Limpeza da L4 Sul, no Plano Piloto, e contou com a participação da vice-governadora Celina Leão.


Grupo liderado pela vice-governadora Celina Leão visitou o Distrito de Limpeza, na Asa Sul | Foto: Fabio Cruz - Ascom VGDF


O Cata-Pata é fruto de uma parceria entre o SLU, a empresa Valor Ambiental e a Secretaria do Meio Ambiente e Proteção Animal do DF (Sema). O programa visa proporcionar um futuro melhor para os animais, frequentemente deixados nas unidades do SLU.


“Quando as equipes vão fazer a limpeza na nossa cidade, elas encontram esses animais abandonados e, muitas das vezes, em situações precárias”, afirmou a vice-governadora Celina Leão. “O programa vem justamente para acolher e prestar todo o cuidado. Agora, a gente pede o apoio da população para que faça a sua parte, adote e dê um lar para esses animais.”


Adoção


Os filhotes resgatados já estão disponíveis para adoção no Distrito de Limpeza da L4 Sul. Ao todo, são cinco adultos e 12 filhotes. Os interessados em adotar podem entrar em contato pelo número (61) 99297-0090 e marcar uma visita presencial. É necessário que o futuro tutor assine um termo de adoção responsável para garantir que o animal seja bem-cuidado no novo lar.


“Não podemos deixar esses animais na situação em que são encontrados”, pontuou o diretor-presidente do SLU, Silvio Vieira. “A gente resgata e, com apoio da Valor Ambiental e Sema, nós os castramos e os vermifugamos para que eles estejam prontos para serem adotados definitivamente. Mas não é qualquer pessoa que pode adotar, tem que estar ciente das regras e das responsabilidades de se ter um cãozinho em casa.”


O titular da Sema, Gutemberg Gomes, lembrou que esta é mais uma iniciativa a contemplar a vasta programação do Dia do Meio Ambiente, celebrado em 5 de junho. “Maltratar os animais é crime, e o abandono está previsto no Código Penal”, advertiu. “A ideia é procurar os responsáveis por deixar esses animais, para que respondam criminalmente pelos seus atos e os animais encontrem tutores responsáveis”.


Cuidados


Os animais resgatados ficam em uma instalação reformada na L4 Sul. O espaço é adequado e acolhedor, permitindo que os abrigados tenham a saúde tratada com atenção e dedicação. O principal objetivo do programa é garantir o bem-estar desses animais, promovendo a recuperação e preparação para uma nova vida em um lar amoroso. 


“Essa guarita onde eles ficam já existia, mas não tinha função”, contou um dos administradores da Valor Ambiental, André da Costa Ramos. “Então, aproveitamos o espaço para transformar em um canil até que ganhem um lar definitivo. A ideia é que todo esse paisagismo feito seja transmitido para o restante da empresa.”


Por sua vez, o presidente do Instituto Brasília Ambiental, Rôney Nemer, reforçou: “Nós temos políticas públicas para animais domésticos e silvestres, mas ainda não temos muitas ações para aqueles abandonados. Então, essa atitude é muito importante, porque mostra o carinho e respeito que devemos ter com esses animais”.


Por: Agência Brasília

0 comentário

Comments


bottom of page