© 2019 - 2020 Celina Leão - Deputada Federal. 

  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook Clean

Dia sem tabaco

Por mais saúde, CLDF quer reabertura do Núcleo de Controle ao Tabagismo

Em nome do Dia Mundial sem Tabaco, comemorado na terça-feira (31), foi realizada nesta quarta-feira (1º), sessão solene, no plenário da Câmara Legislativa do DF (CLDF), com a presença da presidente da CLDF, deputada Celina Leão, e do Bispo Renato Andrade, profissionais da saúde e representantes de entidades públicas e não-governamentais de combate ao tabagismo. Entre eles estavam o pneumologista Celso Antônio Rodrigues da Silva, os médicos Carlos Alberto de Assis Viegas, Eliane de Fátima Duarte e Paula Johns.

“Creio que também podemos comemorar um dia com mais saúde. Isto porque é nesta data em que alertamos, fortemente, sobre doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo”, enfatizou Celina.

O ponto forte da sessão foi a reivindicação da reativação do Núcleo de Controle ao Tabagismo, vinculado à Secretaria de Saúde, assim como a adesão do Brasil à campanha mundial pela obrigatoriedade de embalagem padronizada de cigarro.

Em seu discurso, Celina Leão garantiu que vai protocolar um projeto de lei, em parceria com o deputado Bispo Renato Andrade, para que o governo do Distrito Federal garanta a reativação, em caráter permanente, daquele núcleo extinto. Para ela, do jeito que está hoje não pode continuar e elogiou a mobilização dos profissionais de saúde do DF na defesa da eficiência na prevenção da doença. “Essa medida é um retrocesso no combate ao controle da epidemia do tabagismo”, enfatizou a parlamentar.

Já o Bispo Renato ressaltou o trabalho desenvolvido pelos profissionais da saúde pública na prevenção do tabagismo, no Brasil, e também apoiou a volta do Núcleo de Controle ao Tabagismo. E criticou a campanha da indústria do tabaco contra o aumento de impostos dos cigarros.

O subsecretário de Saúde do DF, Daniel Seabra, esclareceu que a extinção do Núcleo de Controle ao Tabagismo foi necessária a fim de atender a política de corte de cargos públicos para redução das despesas do governo local. E prometeu reunir-se com outros gestores da Secretaria de Saúde para rediscutir a reorganização das atividades desenvolvidas pelo órgão.

A representante da Organização Mundial de Saúde (OMS), Zohra Abaakouk, defendeu a adesão pelo Brasil no uso de embalagens padronizadas como já fizeram várias nações em todo o mundo para a venda de cigarros. Ela destacou que seis milhões de pessoas morrem em todo o mundo, anualmente, por causa da epidemia do tabaco.

Segundo a Organização Mundial da Saúde o tabagismo é a principal causa de morte evitável em todo o mundo, sendo responsável por 63% dos óbitos relacionados às doenças crônicas não transmissíveis. Dessas, o tabagismo é responsável por 85% das mortes por doença pulmonar crônica (bronquite e enfisema), 30% por diversos tipos de câncer (pulmão, boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim, bexiga, colo do útero, estômago e fígado), 25% por doença coronariana (angina e infarto) e 25% por doenças cerebrovasculares (acidente vascular cerebral).

“A notícia boa é que no Brasil, como resultado de importantes ações de controle do tabaco já desenvolvidas, a prevalência de tabagismo vem diminuindo ao longo dos anos. Em 1989, o percentual de fumantes de 18 anos, ou mais, era de 34,8%. Em 2013, o percentual na mesma faixa etária caiu para 14,7%”, enumerou Celina. E completou: “os números são animadores, mas precisamos de reforçar as ações contra o tabagismo, em nome da saúde da nossa população e para que os não fumantes não sejam fumantes passivos”.

Para finalizar, Celina destacou a implementação de mais campanhas contra o tabagismo, de forma que se ajude e incentive os fumantes a valorizar a vida e a saúde. “Isto para que se afastem do tabaco e possam viver em um mundo melhor, com ar puro e longe de doenças trazidas pelo tabagismo”.

ASCOM da Deputada Celina Leão