© 2019 - 2020 Celina Leão - Deputada Federal. 

  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook Clean

Celina Leão visita Hospital da Criança e enfatiza que é modelo para o DF

O diretor do Hospital da Criança de Brasília José Alencar, Renilson Rehem, recebeu, nesta sexta-feira (11), a visita da presidente da Câmara Legislativa do DF, deputada Celina Leão, do deputado Reginaldo Veras, e do secretário de Saúde, Humberto Fonseca, para que juntos conhecessem as dependências do prédio e já avistassem a estrutura para a construção do segundo bloco, que vai ampliar ainda mais o atendimento às crianças do DF.

Celina Leão visitou o hospital considerado modelo no DF e se encantou com o que viu. “Viemos aqui conhecer esse trabalho para dar continuidade ao debate sobre a Saúde na CLDF”, destacando que foi importante conhecer um modelo em Brasília, atendendo milhares de pacientes e dando exemplo. “Tenho a certeza de que se ouvíssemos o testemunho dessas pessoas elas poderiam contar como estão sendo bem atendidas aqui”. E esclareceu: “todas as vezes que vou a um hospital público sou parada para ouvir uma reclamação”, relata.

Celina disse que está convencida de que o que viu, um bom atendimento aos pacientes, é um exemplo de boa gestão. “E como Presidente da CLDF quero ajudar na reconstrução da Saúde do DF. Aquilo vai ser resolvido, vai ser atendido”, referindo-se à Audiência Pública sobre o realinhamento da LOA/2016 para a Saúde, ocorrida na quinta (10), na CLDF, onde se falou em custos da saúde em Brasília, e do que ainda resta a pagar para colocar as contas em dia.

A parlamentar destacou ainda que a visita em conjunto com o deputado Reginaldo Veras acontece porque está marcada, para segunda-feira (14), às 9h30, uma audiência pública, proposta pelo parlamentar sobre Organizações Sociais na Saúde Pública do DF, na Comissão de Educação, Saúde e Cultura (CESC) da Câmara Legislativa do DF.

“Creio que por meio de sua Comissão, muitas decisões serão tomadas”, disse Celina, reforçando o papel do Legislativo na questão da saúde. “Isso passa pela CLDF. O governador quer melhorar a lei para mexer no sistema de saúde pública do DF. A responsabilidade não é só do governo mas, é nossa também”, garantiu.

A presidente se colocou à disposição do secretário de Saúde, Humberto Fonseca. E completou: “precisamos de um debate mais sincero sobre o acesso à saúde pública no DF. O sistema SUS é maravilhoso, mas precisamos saber quem vai custear nos estados. Acho que precisamos ter um debate um pouco mais sincero e que o acesso à saúde publicada população seja mais fácil. Talvez funcione bem no Canadá”, comparou Celina.

O secretário de Saúde, Humberto Fonseca, percorreu as dependências do Hospital da Criança ao lado dos parlamentares e disse que por muitas vezes esteve no local. “Essa foi a primeira visita da presidente da CLDF, Celina Leão, a uma instituição de saúde que se encontra sob a gestão de uma entidade privada. O Hospital da Criança é gerido, hoje, pelo Instituto do Câncer Infantil e Pediatria Especializada (ICIPE), e o controle é feito pela Secretaria de Saúde do DF”, explicou.

Para ele trata-se de uma experiência boa, exemplo de parceria entre uma entidade privada e o poder público para prestar um serviço de saúde de qualidade para as crianças. “Eu já conhecia o hospital. Vim aqui muitas vezes. Sei que o primeiro impacto e a primeira impressão sobre este hospital são sempre muito bons: tudo muito arrumado, muito limpo. É bom ver as crianças correndo pelos corredores, até mesmo as criancinhas muito enfermas, e os funcionários trabalhando sorrindo. Realmente é gratificante estar numa estrutura desta, onde a saúde está sendo aplicada com qualidade à população”, enfatizou o secretário.

O Hospital da Criança de Brasília José Alencar foi inaugurado em novembro de 2011 e de lá para cá já realizou mais de um milhão de atendimentos até fevereiro deste ano. O órgão é público, e faz parte da Secretaria de Saúde do DF e é administrado pelo ICIPE. Não tem emergência por ser de especialidades pediátricas, de o a 18 anos. As vagas são para consultas para casos de alergia, anestesiologia, cardiologia, cirurgia pediátrica, dermatologia, endocrinologia, gastroenterologia, genética clínica, ginecologia infanto-puberal, homeopatia, imunologia, infectologia, nefrologia, neurocirurgia, neurologia, oncohematologia, ortopedia, pneumologia, psiquiatria e reumatologia.

O hospital ocupa sete mil metros quadrados construídos, com 30 consultórios médicos, 22 leitos de internação. O segundo bloco, com dois andares, ocupará 21 metros quadrados, e terá 202 leitos (20 de UTI e 18 de cuidados intermediários, um Centro Cirúrgico e um Centro de Ensino e Pesquisa.

ASCOM da Deputada Celina Leão