top of page

Canal do Rodeador vai economizar 170 litros de água por segundo

Investimento de R$ 6 milhões do GDF na região de Brazlândia vai beneficiar cerca de 750 moradores da zona rural


Mais um trecho do canal de irrigação Rodeador, o principal da Bacia do Rio Descoberto, será reformado pelo Governo do Distrito Federal (GDF). A assinatura para o início da obra ocorreu nesta sexta-feira (16) com a presença do governador Ibaneis Rocha em Brazlândia.


Nesta fase do Canal do Rodeador, serão recuperados 11,54 km de tubulações, incluindo o canal principal e os ramais 2 e 3, atendendo 96 propriedades rurais e cerca de 180 famílias, o que beneficia diretamente 750 moradores da zona rural e indiretamente milhares de famílias que consomem os produtos desta grande região agrícola do DF.


O investimento na obra é de R$ 5,99 milhões, em parceria com a Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), e anteriormente o GDF já havia recuperado 5,76 km de tubulações deste mesmo canal, o que atendeu, à época, 195 famílias.


No evento, o governador Ibaneis Rocha lembrou a crise hídrica que o DF atravessou para reforçar a importância da obra. “Antes de entrar na política eu via as imagens do problema da água, do racionamento que o DF passou e a dificuldade que as famílias rurais tiveram de sustentar a produção. Essa foi uma grande preocupação quando assumi o governo, buscando os recursos e fazendo as obras. Queremos complementar a tubulação em todo o DF para que os agricultores tenham segurança hídrica para tocar as suas produções”, destacou.


Nesta fase do Canal do Rodeador, serão recuperados 11,54 km de tubulações, incluindo o canal principal e os ramais 2 e 3, atendendo 96 propriedades rurais e cerca de 180 famílias | Foto: Renato Alves/Agência Brasília


Esse investimento é essencial para garantir o abastecimento de água aos produtores e também combater o desperdício de água, que não é pouco, conforme explicou o presidente da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-DF), Cleison Duval. “Hoje, aqui no Rodeador, nós estamos perdendo 170 litros de água por segundo por infiltração e evaporação. Este é o tamanho da importância desse canal: que ele dê continuidade à água para os produtores continuarem com a sua produção, mas que sobre esses 170 litros por segundo para abastecer essa cidade, a nossa cidade”, detalhou Duval.


Para ilustrar o tamanho do desperdício, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o brasileiro consome em média 117,5 litros de água por dia. Uma família de quatro pessoas chega a consumir 470 litros de água por dia. Ou seja, a cada três segundos, o desperdício gerado no Canal do Rodeador seria capaz de abastecer o consumo diário de uma família.


Eficiência no uso


Segundo a Secretaria da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (Seagri) e a Emater, responsáveis por esse trabalho, a melhoria dos canais é importante, porque aumenta a eficiência na condução das águas para os produtores rurais, zerando as perdas e facilitando a distribuição da água entre os beneficiados.


Entre 2019 e 2022, o governo recuperou 107,3 km de canais de irrigação em todo o DF, beneficiando mais de 700 propriedades rurais, o que atinge cerca de 2,8 mil moradores da zona rural. Até 2026, o GDF pretende recuperar mais 130 km de tubulações.

Para evitar esse desperdício, Seagri e Emater trabalham juntas. Elas prestam suporte aos produtores, desde a elaboração dos projetos, aquisição de tubulações, disponibilização de maquinário, assistência para obtenção de outorgas e autorizações ambientais e acompanhamento técnico dos serviços.


“Brazlândia, por si só, tem um papel fundamental para o DF. Mais de 60% daquilo que tem de água disponível para consumo humano vem da Bacia do Descoberto. Temos uma produção muito pujante, principalmente de frutas e verduras, e essa água precisa ser conciliada de uma maneira que a gente tenha as menores perdas, seja por infiltração, seja por evaporação. A tubulação do Canal do Rodeador vem com esse objetivo: reduzir as perdas por infiltração, reduzir as perdas por evaporação e termos mais disponibilidade de água na Bacia do Descoberto para consumo humano e também para o produtor”, acrescenta o secretário-executivo de Agricultura, Rafael Bueno.


Presidente da Associação do Rodeador, Ricardo Sassa sofreu com a crise hídrica na região e agora comemora o início das obras. “O sonho dos produtores é essa tubulação do Canal. Vai ajudar muito na questão das perdas e até de manutenção. Aqui na região produzimos hortaliças, frutas e a água é o principal insumo da agricultura. Sem água não tem vida nas propriedades rurais. O Canal do Rodeador foi feito para manter o produtor na sua propriedade fazendo o que ele gosta de fazer, que é produzir”, afirma.


Por Agência Brasília.

0 comentário
bottom of page