Brasília, capital do basquete de base



O conceito de transformar Brasília na capital do basquete deu início no ano passado, com o programa que prevê um conjunto de ações e projetos para o desenvolvimento e posicionamento nacional da modalidade praticada na capital federal, da divisão profissional até as categorias de base. Dentro dessa perspectiva, a Federação de Basquetebol do Distrito Federal (FBDF), representada pelo presidente, Francisco Oliveira, se reuniu com a secretária de Esporte e Lazer, Celina Leão, para dar andamento aos trabalhos da iniciativa, que foram interrompidos devido à pandemia de Covid-19.

Após a cerimônia no Palácio do Buriti, em julho de 2019, que confirmou o patrocínio do Banco de Brasília (BRB) aos times profissionais Universo/Brasília e Clube de Regatas Flamengo, um grupo gestor, sob a coordenação da Secretaria de Esporte e Lazer, começou a atuar em cima da segunda etapa da iniciativa, voltada para os esportistas iniciantes. O planejamento da equipe formada por representantes da Secretaria de Educação, Universidade de Brasília (UnB), FBDF e Instituto de Desenvolvimento do Basquete pretende disseminar a atividade em escolas públicas e Centros Olímpicos e Paralímpicos (COPs).

“O basquete é uma das modalidades mais queridas pelos brasileiros. Na nossa capital não é diferente. E, mesmo que, neste momento, não se possa praticá-la integralmente, por questões sanitárias e de segurança, há como planejar e trabalhar bastante em boas iniciativas como essa, para quando chegar o período adequado, a sua implementação seja rápida e eficaz. O jovem que quiser praticar basquete no DF terá condições e acesso a uma quadra adequada, materiais esportivos e participará de torneios. Esse é o nosso objetivo”, vislumbra a secretária de Esporte e Lazer.

Para Francisco Oliveira, da Federação de Basquete, é fundamental a retomada do programa, ainda que em fase de planejamento, tendo o Banco de Brasília e a Secretaria de Esporte e Lazer como agentes atuantes diretos. “Precisamos de um planejamento para o próximo ano, desenvolver a nossa base, no cotidiano com projetos dentro do programa voltados especialmente para eles, tendo os Centros Olímpicos e Paralímpicos como apoio. Nesse período de isolamento foram desenvolvidas várias ações virtuais para mantê-los conectados”.

A temporada 2020/2021 do Novo Basquete Brasil, campeonato nacional masculino da modalidade, está prevista para retomar o calendário em novembro. O Universo/Brasília faz parte dos times que devem brigar na tabela. Como os treinamentos de modalidades coletivas continuam interrompidos, por medidas de segurança, os atletas investem em condicionamento físico, desenvolvimento de habilidades individuais, análises de vídeos, entre outras atividades que não exijam contato com outros atletas.


Texto: Ascom Sel

© 2019 - 2020 Celina Leão - Deputada Federal. 

  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook Clean